Galaxy SAMP

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Storm


Administradores
Administradores
PESSOAL TENHO ESTE ESQUEMA ABAIXO QUE ENSINA TESTAR COMPONENTES SEM A NECESSIDADE DE SE RETIRAR DA PLACA SÓ QUE OS TESTES SÃO FEITOS COM MULTIMETRO ANALÓGICO. PRECISO SABER COMO FAZER ESTES TESTES COM O MULTIMETRO DIGITAL ?



TESTE DE COMPONENTES NO LOCAL




Componentes que serão identificados com segurança e rapidamente quando defeituosos.

• Capacitor de cerâmica, poliéster eletrolítico, plate e styroflex.
• Transistores.
• Diodos.
• Resistores.
• Circuitos intergados.
• Transformador e bobina.




Ferramenta que será usada:

• Multímetro analógico.
• Escala para os testes X1 e X10 X1K.

Aparelhos eletrônicos que podem ser usados estas técnicas.

• Todos.


Atenção o aparelho a ser testado deve está desligado da tomada para evitar choques elétricos e danos no multímetro.

Lembrete – não é necessário retirar o componente da placa para fazer o teste.

• Capacitor de cerâmica, poliéster, eletrolítico, plate e styroflex.

Este é um teste para saber se o capacitor está em curto (defeituoso)

1. Posicione a chave seletora do multímetro na escala X10.
2. Localize os terminais do capacitor a ser testado por baixo da placa.
3. Coloque as pontas de prova do multímetro nos terminais do capacitor, não importa a polaridade dos cabos, depois inverta as pontas de prova (onde estava a ponta de prova preta coloque agora a ponta de prova vermelha e no lugar da vermelha coloque a ponta de prova preta).

Capacitor em curto – o ponteiro do multímetro deslocará até o zero nas duas inversões das pontas de prova.

Observação: ao testar o capacitor eletrolítico na placa quando ele não está em curto (capacitor eletrolítico bom), você vai observar que o ponteiro do multímetro desloca e retorna um pouco, marcando um certo valor ôhmico, isto conforme o seu valor. Faça o teste e observe que o ponteiro retorna mais em uma das inversões.

Se por acaso ao testar os capacitores; cerâmica, poliéster, plate e styroflex, o ponteiro deslocar e estacionar em qualquer ponto da escala e começar e retornar é porque existe algum capacitor eletrolítico ligado na mesma trilha do capacitor que está sendo testado. Isto não indica que o capacitor em teste está com defeito.

Importante – ao testar qualquer capacitor na placa e o ponteiro do multímetro deslocar até o zero indicando que o mesmo está em curto, verifique em primeiro lugar antes de retira-lo se o capacitor está ligado através das trilhas a uma bobina o mesmo resistor em paralelo de valor abaixo de 10R. Veja exemplo abaixo:

5R










Na verdade ao testar o capacitor você estará testando o resistor ou bobina os quais indicarão praticamente zero (0) ohms na escala X10.
RESUMO – ao testar os capacitores na placa o ponteiro não deverá indicar zero ohms (curto).

• Transistores


Este é um teste para saber se o transistor está em curto ou aberto.

• Posicione a chave seletora do multímetro na escala X10.
• Localize os terminais do transistor no outro lado da placa.

Na placa sempre vem indicando o terminal da base, é claro que em alguns equipamentos a placa está totalmente sem numeração, mas também não é problema porque mostraremos a técnica fácil de você identificar a base.

Vamos começar pelo meio mais fácil, verificando pela letra B (base) que está impresso ao lado de um dos terminais do transistor na placa.

 Coloque a ponta de prova preta na base.
 Coloque a ponta de prova vermelha nos outros dois terminais um a um.
 O ponteiro deverá deslocar aproximadamente entre o número 10 e 5 do visor, isto se o mesmo for NPN. Se o ponteiro não deslocar marcando estes valores entre 10 e 5, inverta as pontas de prova, vermelho na base e o preto nos outros dois terminais um a um. Então o ponteiro do multímetro deverá marcar valor entre 10 e 5, indicando que o mesmo é PNP.




Observação: ao testar um transistor e indicar que o mesmo é um PNP ou NPN, você vai notar que em alguns casos o ponteiro marca um certo valor alto ao inverter as

pontas de prova, ou seja, o ponteiro desloca um pouco, isto é comum devido outro componente que está ligado à mesma trilha do transistor.



Muito bem, este é um teste que indica que o transistor está bom. Agora vejamos como fazer o teste rapidamente para saber se o mesmo está em curto ou aberto:



TRANSISTOR EM CURTO.

• Multímetro na escala X10.
• Coloque qualquer ponta de prova em um dos terminais do transistor.
• A outra ponta de prova coloque em um dos outros dois terminais.
• Se o ponteiro deslocar até o zero, significa que o mesmo está em curto (defeituoso).

Uma dica rapidinha – se a intenção é localizar transistor em curto, não se preocupe em saber onde se encontra a base, coloque as pontas de prova do multímetro, uma em cada terminal e vá invertendo observando se o ponteiro desloca até o zero, acontecendo isto o mesmo está em curto (defeituoso).



TRANSISTOR ABERTO.

• Multímetro na escala X10.
• Coloque a ponta de prova preta no terminal da base.
• Coloque a ponta de prova vermelha nos outros dois terminais um a um. Se o ponteiro do multímetro não deslocar marcando um valor entre 10 e 5, inverta as pontas de prova, vermelha na base e a ponta de prova preta nos outros dois terminais um a um. Se, mesmo assim o ponteiro não marcar valor entre 10 e 5, o transistor está aberto.





Atenção. Você observar que o ponteiro do multímetro sempre desloca marcando qualquer valor ao testar o mesmo na placa, porém isto não significa que o mesmo está bom.

Observação: o transistor só indica que está bom quando o ponteiro do multímetro desloca marcando um valor entre 10 e 5 quando uma das pontas está fixa na base e a outra é conectada nos outros dois terminais um a um marcando o mesmo valor. Veja a aula prática de teste do transistor no nosso site.





 Diodos


Este é um teste para saber se os diodos estão em curtos ou abertos.

 Multímetro na escala de X10.
 Localize por baixo da placa os terminais do diodo que será testado.
 Coloque a ponta de prova vermelha no catodo do diodo e aponta de prova preta no anodo. Na placa você vai encontrar junto ao diodo a sua simbologia.
Catodo.

 O ponteiro do multímetro deverá marcar uma resistência entre 10 e 5.


 Inverta as pontas de prova, a ponta de prova vermelha no anodo e a ponta de prova preta no catodo. O ponteiro do multímetro não deverá marcar o mesmo valor, você vai observar que ao testar alguns diodos no sentido inverso (cabo preto no catodo e cabo vermelho no anodo), o ponteiro desloca marcando um certo valor ôhmico, isto não indica que o diodo está com defeito, o valor da resistência que está marcando é porque o multímetro está detectando outras peças que estão ligadas na mesma trilha do diodo.
 Ao testar o diodo em qualquer sentido e o ponteiro do multímetro deslocar até o zero, significa que o mesmo está em curto.



Nota: este teste serve para qualquer tipo de diodo.


• Resistores.


Este é um teste para saber se os resistores estão alterados ou abertos.

Vamos fazer estes testes por partes. Começaremos com os resistores que tem o terceiro anel de cor:


Prata, dourado, preto e marrom.

Verificando resistor aberto:

• Multímetro escala X1.
• Coloque as pontas de prova nos terminais do resistor que o terceiro anel vem com uma destas cores citadas acima (o resistor não tem polaridade).
• Se o resistor estiver aberto o ponteiro não desloca.

Verificando resistor alterado:

• Continuando o teste dos resistores na escala X1 com o terceiro anel de cor prata, dourado, preto e marrom.
• Coloque as pontas de prova nos terminais do resistor.

Resistor com o terceiro anel de cor, prata ou dourado: O ponteiro deverá chegar ao 0(zero) ou bem próximo, caso contrário o mesmo está alterado.

Resistor com o terceiro anel de cor preta: O ponteiro deverá estacionar no número da escala do visor que corresponda o mesmo número do código de cores do primeiro e segundo anel, ex. vermelho e preto, os dois primeiros anéis juntos correspondem o número 20, então o ponteiro deverá estacionar no número 20 do visor do multímetro. Caso o ponteiro do multímetro estacionar no número 40, 50 ou 100 o mesmo está alterado (defeituoso).
Resistor com o terceiro anel de cor marrom: O ponteiro do multímetro deverá estacionar no número da escala do visor que corresponda o mesmo número do código de cores dos três anéis do resistor, ex. vermelho, verde e marro, os três anéis formam o número 251 então o ponteiro do multímetro deverá estacionar entre o número 200 e 300.



Resistores que tem o terceiro anel de cor: vermelha, laranja e amarelo.

Verificando resistor aberto:

• Multímetro escala X1K.
• Coloque as pontas de prova nos terminais do resistor que o terceiro anel vem com uma destas cores citadas acima (o resistor não tem polaridade).
Se o resistor estiver aberto o ponteiro não desloca

Verificando resistor alterado:

• Continuando o teste dos resistores, sendo agora na escala X1K com o terceiro anel de cor vermelha, laranja ou amarelo.
• Coloque as pontas de prova nos terminais do resistor.

Resistor com o terceiro anel de cor, vermelha: O ponteiro deverá chegar próximo ao número da escala do visor que corresponde o código de cores do primeiro anel do resistor ex. se o resistor começar com a cor vermelha, que corresponde o número 2 do código de cores, então o ponteiro do multímetro deverá estacionar no número dois na escala do visor do multímetro. Outro exemplo: resistor com o primeiro anel de cor verde (5) e o terceiro anel de vermelha, o segundo anel não importa, pode ser qualquer cor. Então o ponteiro deverá estacionar bem próximo ao cinco (5). Caso o ponteiro estacione perto do 10 ou mais distante, o resistor estará alterado.

Resistor com o terceiro anel de cor laranja: O ponteiro deverá chegar próximo ao número da escala do visor que corresponde o código de cores do primeiro anel do resistor ex. se o resistor que for testado tiver o primeiro anel marrom (1), o ponteiro

do multímetro deverá estacionar próximo ao 10 da escala do visor. Outro exemplo: se o resistor que for testar tiver o primeiro anel de cor amarelo (4) e o terceiro anel de co laranja, o ponteiro deverá estacionar próximo ao número 40 do visor da escala do multímetro. Caso o ponteiro estacione próximo ao número 50 ou mais acima, significa que o resistor estará alterado.

Resistor com terceiro anel de cor amarelo: O ponteiro deverá chegar próximo ao número da escala do visor que corresponde o código de cores do primeiro anel do resistor ex. se o resistor que for testado tiver o primeiro anel de cor vermelha (2) e terceiro anel de cor amarelo, o ponteiro do multímetro deverá estacionar próximo ao número 200 no visor do multímetro.



Atenção: resistores que tem o terceiro anel de cor verde deverão ser retirados para serem testados.


• CI.

Este é um teste para saber se o CI está em curto.

Sabe-se que um CI pode provocar vários sintomas no aparelho os quais são manifestos de acordo com o defeito do CI.
Ex. Falta de cor em um TV ou Monitor, som baixo em equipamento de som ou TV, falha de leitura em CD etc., estes são sintomas característicos de uma alteração no CI, neste caso o multímetro não detecta, porém há alguns sintomas que são

provenientes do CI em curto, ex. queima de fusível, transistor ou resistor aquecendo demasiadamente, aparelho não funciona etc.
Para identificar o CI em curto (Zero ohm), usaremos o multímetro na escala X10, siga o roteiro abaixo:


• Desligue o aparelho da tomada.
• Posicione o multímetro na escala X10.
• Localize o pino 1 do CI (CI soldado na placa).
• O pino 1 do CI está com um marca tanto na placa como no seu próprio invólucro. Veja exemplo a seguir:



1
2
3
4
8
14
















• Coloque a ponta de prova preta no pino 1.
• Coloque a ponta de prova vermelha no pino 2
• Mantenha a ponta de prova preta no pino 1 e coloque agora a ponta de prova vermelha no pino 3.
• Mantendo a ponta de prova preta no pino 1 vá colocando a ponta de prova vermelha em todos os pinos um a um, verificando se o ponteiro do multímetro desloca até o zero. Caso o ponteiro desloque até o zero significa que o CI está em curto (defeituoso).
• Agora passe a ponta de prova preta para o pino 2, e repita o teste com a ponta de prova vermelha em todos os pinos do CI.
• Faça o teste com a ponta de prova preta no pino 3 com todos os pinos, depois a pino 4 com todos e assim até o último pino.

• Obs: Em determinados pinos do CI o ponteiro do multímetro registrará alguma resistência enquanto que outros o ponteiro não desloca permanecendo em repouso, mas isto não significa que o CI está com defeito, lembre-se que o objetivo deste teste é saber se o mesmo está em curto resistência 0 “zero” (defeituoso).

• Transformador.

Com este teste saber se o transformador está em curto ou aberto.

Há nos equipamentos vários tipos de transformadores como: transformador de força, transformador de pulsos, transformador DRIVE, transformador indutor etc.


Transformadores de força:

Usando o multímetro para testar o transformador podemos localizar o primário e secundário e saber se o mesmo está rompido (queimado).

PRIMÁRIO – Entrada de tensão alta 220V – 110V – 240V etc.

SECUNDÁRIO – Saída de tensão 90V – 60V – 12V – 18V – 6V – etc.
Vamos começar o teste com um transformador de pequena potência.
Ex. Transformador de um rádio relógio ou rádio portátil, este tipo de transformador tem uma amperagem baixa: 250mA – 800mA – 500mA.
• Para testar o transformador de baixa potência, posicione a chave seletora do multímetro na escala X10.

• Faça o ajuste de Zero.
• Coloque uma das pontas de prova do multímetro em um dos fios do transformador que está soldado na chave ou fusível.
• Coloque a outra ponta de prova em dos fios que está saindo do mesmo lado do transformador. O multímetro deverá registrar uma resistência alta, entre 200R a 1K, faça este teste com os outros fios. Este é o primário do transformador. Lembrando que não é preciso retirar os fios do local.
• Agora teste os fios do outro lado do transformador. Mantenha o multímetro na escala X10, coloque uma das pontas de prova em um dos fios que está soldado na placa, e a outra ponta de prova coloque em qualquer outro fio que está soldado na mesma placa, o ponteiro deverá deslocar até ao Zero (0). Faça este mesmo teste com os outros fios que estão soldados na placa.


Atenção: se o transformador possui mais de 4 fios na saída, pode ser que um ou mais fios não conduza com os outros, isto porque são bobinas diferentes, de qualquer maneira cada fio deverá ter seu par. Se houver algum dos fios que não conduza com nem um que está soldado na placa significa que o transformador está aberto (defeituoso).

O teste o transformador de potência é feito na escala X1 e segue o mesmo roteiro acima.


Transformador aberto (queimado) o ponteiro não desloca.


Lembre-se: Primário do transformador resistência alta.
Secundário do transformador resistência baixa.



• Bobina.

Este teste é para saber se está em curto ou aberta.

Para testarmos as bobina usaremos o multímetro na escala X1.



• Desligue o aparelho da tomada.
• Localize a bobina do outro lado da placa.
• Regule o multímetro no Zero, os cabos do multímetro não deverão está com mal contato.
• Coloque as pontas de prova nos terminais da bobina, o ponteiro deverá deslocar marcando resistência próximo do Zero (0). Caso o ponteiro não desloque a bobina está com defeito.



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Eu aconselho:

- Ajudar bastante postando novas tirinhas.
- Ser um grande trollador.
- Tente fazer o maximo possivel para ser um Troll.
- Caso queiram algo de novo é só me contatar.
http://newpixel.forum-pro.net

danieldbs


Membros
Membros
muito boa a informaçao

http://forum2010.forumeiros.com/forum

-Nolook?


Expert
Expert
Tópico inativo a mais de 1 mês, fechado.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum